PRINCIPIOS PEDAGOGICOS

 

O curso de Pedagogia do Campo assume princípios básicos do processo de formação: 

·         A indissociabilidade entre teoria-prática;

·         A articulação entre estudo-trabalho; e

·         A pesquisa como prática educativa.

             Desta forma, busca-se um currículo que garanta a formação contextualizada, sustentada pela prática da pesquisa como princípio educativo e da reflexão crítica sobre a realidade em que os educandos da turma vivem/trabalham, considerando a diversidade de saberes e experiências trazidos pela turma e visando estimular entre os mesmos a práxis acadêmica e pedagógica, o poder de re-leitura de mundo e o saber interpretar criticamente e agir criativamente para mudar a realidade das escolas do campo. Nesta perspectiva, vem se buscando desenvolver a formação a partir da associação entre oficinas pedagógicas e os estudos acadêmicos voltada à construção de um processo de reflexão autobiográfica. As oficinas pedagógicas, trabalharam com as memórias das histórias de vida dos participantes, visando estimular vivências que possibilitasse aos educandos o desenvolvimento de uma consciência critica sobre os valores, as escolhas, práticas e relações assumidas por cada um em suas vidas e que influenciam na condição humana dos mesmos e na constituição das condições de vida coletiva. As primeiras oficinas buscaram contribuir para a formação de uma consciência que pudesse impulsionar os sujeitos, individualmente e coletivamente, e exercitarem práticas de auto-emancipação, tanto em suas tempo de formação acadêmica, como no cotidiano familiar, comunitário, profissional e de militância política. Diante disso os educandos avaliaram esse processo de ensino mostrando claramente na suas reflexões abaixo.

“Percebi o quanto de potencialidade que existe em cada um de nós e que nunca tínhamos explorado para demonstrar essa qualidade de cada um”  [José Nilson].

“Aprendi a valorizar o ser humano, compreender o que é conviver em coletivo, a importância das diferenças, contribuição para a emancipação acadêmica, profissional e pessoal” [Maria Ribeiro]

“Formação crucial para que a turma ganhasse confiança individualmente e coletivamente na universidade, (…) as metodologia possibilitaram que a turma perdesse seus medos e preconceitos colonizados em nossas mentes”  [Joelson]

“As oficinas ajudaram no refletir como fazer um bom convívio junto ao grupo. Ajudaram no processo de conhecimento coletivo, uma vez que buscava resgatar a nossa história. Ajudaram cada um a se conhecer dentro do processo, buscando ultrapassar as barricadas e melhorar a relação do individuo com o coletivo” [Odalí ]

“O olhar hoje fala. As mãos tocam. Quem sente é a alma. Os pés carregam histórias. Memórias [o corpo também fala]. Me jogo no corredor do acolhimento. Submerso no mundo que não pertence a ninguém. Tenho confiança no companheiro. Sou levantada, parece que posso tocar o sol. A música vai além da música, é pura reflexão. Rabiscos no papel. Descrição da minha e tua vida. Renascemos.” [Cris Araújo] 

“Nosso sentimentos, movimentos, paixões, medos, preconceitos é conseqüência de nossa consciência produzida a partir de uma colonização social e familiar selada na pele e na memória. Onde só é compreendida quando adquirimos a sensibilização do toque e vê que somos escravos do nosso próprio corpo. e as oficinas pedagógicas mostrou isso e compreendi que era escravo de mim mesmo”  [Elisney Viana]

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Princípios Pedagogicos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s